terça-feira, 1 de junho de 2010

A explosão

Nunca se sentiram a explodir, caros amigos? Nunca se sentiram como se dentro de vós, já só restassem os nervos suficientes para vos capacitarem de executar movimentos. Os únicos movimentos que precisam para se moverem? Pois eu já, sinto-me sempre assim, todos os dias, todas as noites, sempre, foda-se. É a explosão interior que me dá esta vontade de explodir também no exterior, mas assim tornar-me ia numa autêntica bomba nuclear, e demasiada gente ficaria magoada e incomodada com tanta coisa que eu sei, e talvez deveria até dizer. Dá-me uma vontade gigante de torcer, rasgar, morder, esmurrar, destruir, partir, dominar, magoar e dar ao mundo a conhecer este pequeno monstro que vive dentro de mim. Quando eu estivesse em vias de explodir, tenho a certeza que viria alguém e me desactivava antes, o Denzel Washington ou a Maria Joaquina: sou muito perigoso, e demasiado precioso. Mas não quero ser assim, merda, não quero o meu corpo em batalhas e guerras Psico-físicas constantes que resultam no meu mau humor, ainda que dificilmente identificável. Tenham cuidado, eu sou perigoso, pensem antes de fazer algo, eu vejo e calo, mas dentro de mim explode mais uma bomba-relógio que activou muitas outras com as réstias da sua pólvora. Um dia, a explosão não é apenas interior, e aí conhecerão alguém de quem não se vão querer lembrar.

4 comentários:

  1. anseio esse dia.
    (comentário desprovido de ironia) *

    ResponderEliminar
  2. "Dá-me uma vontade gigante de torcer, rasgar, morder, esmurar, destruir, partir, dominar, magoar e dar ao mundo a conhecer este pequeno monstro que vive dentro de mim", mas em vez disso tens que olhar, calar, engolir, sofrer, lembrar, relembrar e assim a um segundo de cada explosao, páras e pensas em tudo o que está à tua volta.

    Bom texto,

    Cumprimentos

    KM119

    ResponderEliminar
  3. O que é que aconteceu à média de 3 comentários por post ?

    ResponderEliminar